Feeds:
Posts
Comentários

Visita Ilustre!!!!

A pequena e leve imagem que é um ícone que emana força, coragem, luz, eflúvios divinos sobre todos nós, do seu lugar sagrado ela se agiganta e se torna milhões, pois está presente no coração, na alma, na mente de cada homem e de cada mulher, de cada criança desta cidade ou que de fora vem para sua festa.
“AO PAI, POR CRISTO, NO ESPÍRITO SANTO, COM MARIA E DO JEITO DE MARIA“.
Maria de Nazaré, Maria de Belém, Maria do Pará, Maria da Amazônia, Maria do Brasil Maria de todos nós!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim.

É hora de dar início a mais um semestre de muito estudo, conhecimento, aprendizagem, ousadia e não menos importante dedicação e responsabilidade.  Juntos, queremos que neste início de semestre, todos os objetivos sejam alcançados com muito sucesso. Esperamos que cada um de nós possa não somente obter aprovações, mas também, realizar suas atividades com perfeição, buscando o aprendizado consigo mesmo e assimilando todos os saberes que lhe são passados. Para isto, cabe a cada um de nós contribuirmos com sua parcela de ação e esforço.

É com muita satisfação, que desejamos um ótimo retorno a todos os alunos, colegas e funcionários do curso da E. E. E. F. e M. Aldebaro Klautau, para que com entusiasmo e alegria dêem início as suas atividades.

SAUDADES!!!!

Saudades

Uma lágrima… Uma esperança que acaba, um coração que parte, um alguém rumo a Deus. Como conter essa dor? Dor que não passa, marca alma. Solidão, despedida. Dor na consciência, dor no coração, dor que dói fundo, que fica na lembrança, provoca ferida, ferida que não fecha. Dor que o tempo ameniza, mas, não cicatriza. enfim, um homem alça seu voo solitário. Lágrimas calam as palavras, fazem o coração prantear. Enxugamos estas lágrimas com a lembrança do seu sorriso. Assim a próxima lágrima que cair dos nossos olhos vai confirmar do nosso amor sincero, então toda dor das lágrimas, será cessada pela lembrança de todas as conversas e risadas jogadas ao vento, de tudo o que vivemos e passamos neste tempo… Tempo, para mudar conceitos já pré-estabelecidos E consolidar uma vida onde, dividimos sorrisos, lágrimas e expectativas… Mas valeu a experiência de termos compartilhado momentos que ficarão para a vida toda.

NÓS TE AMAMOS, OBRIGADO POR TUDO!!!

30 DIAS DE SAUDADES!!!!

A professora de Matemática,
com suas contas complicadas,
falando em equações,
no Teorema de Pitágoras.

A professora de Português,
com seu modo indicativo,
falando em advérbios,
interjeições, substantivos.

A professora de Geografia,
com seus complexos regionais,
falando em sítios urbanos,
em pontos cardeais.

A professora de Ciências,
com seus ensinamentos ecológicos,
falando em evolução,
em estudos biológicos.

A professora de História,
com seus povos bizantinos,
falando na Idade Média,
no Imperador Constantino.

A professora de Inglês,
com seus don’t, do e does,
falando em personal pronouns,
na diferença entre go e goes.

A professora de Artes,
com suas obras e seus artistas,
falando em artes ópticas,
em pintores surrealistas.

O professor de Educação Física,
com suas regras de voleibol,
falando sobre basquete,
em times de futebol.

Os professores da minha escola,
com suas matérias que às vezes não entendemos,
falando em todas as coisas,
que aos poucos vamos aprendendo.

APRENDENDO A DESAPRENDER

Passamos a vida inteira ouvindo os sábios conselhos dos outros. Tens que aprender a ser mais flexível, tens que aprender a ser menos dramática, tens que aprender a ser mais discreta, tens que aprender… praticamente tudo.
Mesmo as coisas que a gente já sabe fazer, é preciso aprender a fazê-las melhor, mais rápido, mais vezes. Vida é constante aprendizado. A gente lê, a gente conversa, a gente faz terapia, a gente se puxa pra tirar nota dez no quesito “sabe-tudo”. Pois é. E o que a gente faz com aquilo que a gente pensava que sabia?
As crianças têm facilidade para aprender porque estão com a cabeça virgem de informações, há muito espaço para ser preenchido, muitos dados a serem assimilados sem a necessidade de cruzá-los: tudo é bem-vindo na infância. Mas nós já temos arquivos demais no nosso winchester cerebral. Para aprender coisas novas, é preciso antes deletar arquivos antigos. E isso não se faz com o simples apertar de uma tecla. Antes de aprender, é preciso dominar a arte de desaprender.
Desaprender a ser tão sensível, para conseguir vencer mais facilmente as barreiras que encontramos no caminho. Desaprender a ser tão exigente consigo mesmo, para poder se divertir com os próprios erros. Desaprender a ser tão coerente, pois a vida é incoerente por natureza e a gente precisa saber lidar com o inusitado. Desaprender a esperar que os outros leiam nosso pensamento: em vez de acreditar em telepatia, é melhor acreditar no poder da nossa voz. Desaprender a autocomiseração: enquanto perdemos tempo tendo pena da gente mesmo, os demais seguiram em frente.
A solução é voltar ao marco zero. Desaprender para aprender. Deletar para escrever em cima.
Houve um tempo em que eu pensava que, para isso, seria preciso nascer de novo, mas hoje sei que dá pra renascer várias vezes nesta mesma vida. Basta desaprender o receio de mudar.
Martha Medeiros

Decepções da Vida!!!!

Sentir no coração a dor de uma decepção vai além de um simples sentimento.
Todo nosso ser se envolve de tal maneira neste sentimento que até as atividades simples de um dia se tornam difíceis de serem realizadas.
Sentimos como se carregássemos um peso enorme sobre os ombros dificultando, inclusive o nosso caminhar.
Talvez a dor se torna maior quando a decepção é esperada e não queríamos admitir essa possibilidade, pois a esperança é maior do que a própria certeza e, consequentemente, nos abalamos com aquilo que sabíamos que poderia acontecer.
Seguir os caminhos que a vida nos mostra é a forma mais correta de evitar certas frustrações, mas normalmente escolhemos os caminhos que sabemos que não nos levarão onde gostaríamos de chegar, talvez por teimosia, talvez por esperança, talvez por querer acreditar que aquilo que queremos é possível.
Mas, também precisamos saber que decepções e frustrações fazem parte de nossa vida, tanto profissional como afetiva e familiar, o importante é saber conviver com elas e, ao mesmo tempo, aprender com elas.
Aprender a superá-las nos fortalece para suportar os obstáculos que encontramos no nosso caminhar.
Aprender a enfrentá-las nos dá a garantia de que outras virão e saberemos aceitá-las com mais sabedoria.
Podemos saber que muitas decepções de nossa vida podem também, com o passar do tempo, se tornarem alegrias quando, no futuro percebermos que o que vivemos e sentimos no momento da frustração, foram somente dores passageiras sentidas por alguma notícia ou acontecimento, e que isso nos ajudou em nossa evolução como pessoas e, assim, também, entender que a decepção não foi tão grande como imaginávamos.
O mais importante de tudo isso é tomarmos como lição cada ato, cada acontecimento, cada notícia, cada situação de nossa vida, quer sejam elas frustrantes, decepcionantes ou felizes.